combatividade

Mesmo que pudéssemos elaborar a melhor das propostas de transformação, de nada adiantaria se adotássemos uma postura passiva ou conformista em relação ao mundo. Não desejamos criar um movimento que apenas possui palavras de ordem e princípios sofisticados, mas sim contribuir para que a transformação que desejamos ver aconteça de fato, agindo sobre o mundo.

Por isso, assumimos uma postura de combate contra alguns dos aspectos instituídos em nossa sociedade. Isso não significa que somos favoráveis à violência gratuita, sem organização ou causa, nem que vamos nos organizar para pegar em armas: nosso combate acontece no campo simbólico e cultural.

Por outro lado, não recuaremos de qualquer ameaça somente pelo risco de sofrer repressão e, se optarmos pelo recuo, será uma decisão meramente tática. Somos, portanto, a favor da diversidade de táticas, que devem ser pensadas a cada contexto, e nos colocamos ombro a ombro com as lutas que contribuam na construção do mundo que defendemos.

Deixe uma resposta