horizontal e Horizontalizante

É nossa maneira de organização, sem líderes, cúpulas ou qualquer tipo de hierarquia. Praticamos ela e buscamos imprimi-la na nossa relação com as outras organizações que integram a resistência política, assim como em toda a sociedade. Fazemos isso para sua produção e, dessa forma, garantir sua existência, além de demonstrar que uma real igualdade econômica e política no planeta é não só possível como desejável.

Não somos cegas à criação informal e não-proposital de lideranças ou grupos de influência dentro de nosso coletivo. Alguns fatores que podem gerar isso são, por exemplo, o acúmulo de funções em poucas ou em uma só pessoa, os diferentes períodos de tempo de atuação no grupo, as diferentes idades e diferentes experiências e habilidades desenvolvidas por cada uma das integrantes.

Em momento algum, porém, deixaremos de ser críticas a isso ou deixaremos de trabalhar para a neutralização de todos fatores que possam ter como produto qualquer desigualdade dentro do coletivo. Acreditamos que a horizontalidade interna/externa é muito preciosa, sendo a Fanfarra um bom exemplo disso: quanto mais gente sabe tocar os mais variados instrumentos, há tanto a possibilidade de uma produção musical extremamente diversa quanto a possibilidade de, apesar das dificuldades cotidianas e estruturais, apoiarmos diversos grupos e desenvolvermos mais atividades. Além disso, internamente, as integrantes da Fanfarra tem o poder de opinar e de decidir que possui um indivíduo, de forma a manter a igualdade política entre nossas integrantes.

Deixe uma resposta